Bistrô da Poesia
Deguste... poesia é o alimento da alma!!!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Meu Diário
22/04/2010 17h27
ROTEIRO PARA A EDUCAÇÃO DA ALMA - Geziel Andrade
ROTEIRO PARA A EDUCAÇÃO DA ALMA

Geziel Andrade

Os Capítulos do livro “Na Educação da Alma”, de autoria do Espírito irmã Maria do Rosário, psicografado pela médium Lúcia Cominatto, e publicado pela Editora EME, de Capivari-SP-, retratam bem os princípios espíritas que norteiam a educação das potências da alma.

Eles inspiraram-nos a compor o roteiro abaixo, apontando as atitudes espirituais e morais que devem sustentar o nosso esforço no aperfeiçoamento e desenvolvimento das faculdades da alma:

1 – CUIDAR DO CORPO, MAS TAMBÉM DA ALMA. Nossa preocupação não deve ser apenas a de cuidar bem do corpo material, que é instrumento de manifestação das faculdades da alma na vida terrena, com vistas ao seu aperfeiçoamento moral e espiritual e à evolução do planeta. Deve ser também a de enriquecer a alma com os tesouros imperecíveis, com vistas à vida futura: “Cuida do corpo, preserva a saúde, resguarda-te de tudo o que possa prejudicá-lo e enfraquecê-lo, libertando-te dos vícios que o agridem, e buscando uma vivência saudável para que ele se fortaleça. Contudo, faze o mesmo com a alma, evitando tudo o que também possa prejudicá-la, alimentando-a com bons pensamentos e sentimentos elevados, de amor e de paz”.

2 – MANTER A LIGAÇÃO COM DEUS, ATRAVÉS DO CULTIVO DO AMOR. Deus está acima de todas as coisas, por ser o Criador de tudo o que existe. Por isso, Jesus nos ensinou a cumprir o mandamento de amor a Deus, permanecendo ligados a Ele: “Cultiva muito amor dentro de ti, para que sintas a presença de Deus na própria vida, nos pensamentos e sentimentos, em tudo o que fizeres ou disseres”. (...) “Deus é amor: aquele que permanece no amor permanece em Deus e Deus permanece nele”. (João, 4:16).

3 – ALIAR O AMOR À SABEDORIA. Apenas a sabedoria não nos livra dos desastres morais. Por isso, ela deve estar aliada ao amor, compondo nossa bagagem espiritual e permitindo-nos que façamos um bom uso do saber, do conhecimento, da vontade e do livre-arbítrio: “Através do esforço próprio e das experiências nas diversas situações que a vida faz o ser humano percorrer, vai formando a sua bagagem espiritual, isto é, vai conquistando, simbolicamente, as duas asas – amor e sabedoria – que haverão de conduzi-lo para Deus”.

4 – EXERCITAR O AMOR. O amor deve ser praticado em todas as circunstâncias da vida, exteriorizando nobreza espiritual e moral e aprimorando o uso das faculdades da alma: “Deixe que o amor dirija os teus atos, todas as tuas palavras, todos os teus pensamentos e sentimentos para que a luz irradie de tua alma e testemunhe o teu crescimento interior”.

5 - MELHORAR O MUNDO ÍNTIMO. A educação das faculdades intelectuais, morais, mentais, sentimentais, emocionais e sexuais da alma melhora o nosso complexo mundo íntimo e nos leva a praticar o bem de um modo constante: “Concientiza-te da necessidade de melhorar o teu modo de ser, de agir, de pensar e de sentir, a fim de que os teus passos diários te direcionem à prática constante do bem”.

6 - PROMOVER A MELHORA ÍNTIMA, APROVEITANDO AS OPORTUNIDADES QUE SURGEM NO COTIDIANO. A melhora incessante do nosso mundo íntimo deve estar pautada no aproveitamento das oportunidades que surgem diariamente para educarmos as faculdades da alma, aumentarmos os conhecimentos, ganharmos experiências valiosas, adquirirmos habilidades e praticarmos as virtudes melhorando o modo de conviver e relacionar com os semelhantes: “Aproveita as oportunidades que surgem em teus caminhos, fazendo-te melhor a cada dia, corrigindo tuas falhas e reconstruindo o teu viver de um modo mais pleno e com mais lucidez”.

7 – BUSCAR A EVOLUÇÃO DA ALMA, MESMO ENFRENTANDO AS TRIBULAÇÕES DA VIDA. As lutas, as provas, os contratempos e as circunstâncias adversas da vida são oportunidades para conquistarmos as virtudes, educarmos as faculdades da alma e exercitarmos a prática do bem, vencendo as imperfeições morais e obtendo a maturidade espiritual: “A evolução do espírito se faz por meio de lutas, de esforço constante, de superação das dificuldades, mas também de aquisição de virtudes, a fim de que se consiga transformar em bem, o que estaria sendo um mal dentro de nós mesmos”. (...) “De cada adversidade da vida, procura tirar alguma lição. De cada dor que te atinge, de cada problema que enfrentas, de cada contrariedade que surge, algo mais procura aprender. De adversidade em adversidade, irás vencendo as tuas imperfeições para poderes adquirir as virtudes de que ainda careces”.

8 - COLOCAR A FRATERNIDADE EM AÇÃO. A prática da fraternidade revela o amor que temos pelos nossos irmãos de jornada evolutiva, cumprindo o mandamento de amor aos semelhantes: “Tens em ti mesmo, através do próprio corpo, todas as condições necessárias para colocar a fraternidade em ação, sempre que surjam situações em que a indulgência e outras formas de caridade, exigirem de ti demonstrações de afeto e do mais puro amor ao próximo”.

9 – CONSTATAR SE OS ENSINAMENTOS DE JESUS JÁ ESTÃO INCORPORADOS NA ALMA E SENDO PRATICADOS. Através da autoanálise, conseguimos saber se já conseguimos incorporar na alma, vivenciar e praticar adequadamente os ensinamentos religiosos e morais de Jesus: “Analisa-te interiormente, ausculta o mais profundo da tua alma para verificar se já despertaste, interiormente, a fim de que consigas realizar em ti aquela mudança necessária pela vivência constante dos grandes e nobres ensinamentos legados por Jesus, o Mestre do Amor”.

10 - SUSTENTAR A CONSCIÊNCIA EM PAZ. A consciência é a maior dádiva de Deus a nós, seus Filhos. Por isso, ela deve ser mantida em paz, pelo cumprimento das Leis de Deus, pela prática do amor, pelo uso da sabedoria e pela realização do bem ao próximo, garantindo-nos a própria evolução e a verdadeira felicidade: “A verdadeira felicidade reside na paz de consciência, por tudo de bem que se consiga realizar na vida, não só em favor do próximo, mas da própria evolução”.

11 - CONSTRUIR A PRÓPRIA FELICIDADE. A felicidade é conquista de cada alma. Ela deve ser atingida pelo cumprimento dos deveres espirituais e morais e pela aceitação da adversidade como oportunidade para a conquista de maior progresso pessoal: “Constrói dentro de ti a felicidade que desejas alcançar, realizando hoje, com alegria, todos os teus deveres de amor e caridade e aceitando, com serenidade, todas as adversidades que surjam em teu viver”.

12 - PERSISTIR NA CONQUISTA DA EDUCAÇÃO DA ALMA. A educação das faculdades da alma é meta que deve ser atingida sem esmorecimento. Assim, beneficiamos a nós mesmos e ao próximo, obtendo a evolução e a vitória na forma de luz espiritual e paz: “Não desanimes jamais. Estuda, trabalha, procurando agir constantemente, não só em benefício de ti mesmo, daquilo que tentas alcançar, mas estende ao próximo um pouco das tuas aquisições, não apenas no campo material, mas, sobretudo, em amor e entendimento que possam apaziguar os corações em desespero”. (...) “Confia em Deus, ampara-te em Jesus, buscando transformar tua vida, num manancial perene de luz e de paz”.

CONCLUSÃO: Eis ai um roteiro espírita para a educação da alma. Seguindo-o, acumulamos os tesouros espirituais e morais, que nos garantem a prosperidade, a vitória, o bem-estar, a saúde, a alegria e a felicidade, tanto na vida terrena, quanto na vida futura.

gezielandrade-espiritismo.blogspot.com/

Publicado por Akasha De Lioncourt em 22/04/2010 às 17h27
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/04/2010 09h52
Depressão - Facundo Cabral
DEPRESSÃO
                                     
 (Facundo Cabral)
     
Não estás deprimido, estás distraído. Distraído em relação à vida que te preenche,
Distraído em relação à vida que te rodeia, Golfinhos, bosques, mares, montanhas, rios.
Não caias como caiu teu irmão que sofre por um único ser humano, quando existem   cinco mil e seiscentos milhões no mundo. Além de tudo, não é assim tão ruim viver só.
Eu fico bem, decidindo a cada instante o que desejo fazer, e graças à solidão conheço-me. O que é fundamental para viver.
Não faças o que fez teu pai, que se sente velho porque tem setenta anos, e esquece que Moisés comandou o Êxodo aos oitenta e Rubinstein interpretava Chopin com uma maestria sem igual aos noventa, para citar apenas dois casos conhecidos.
Não estás deprimido, estás distraído. Por isso acreditas que perdeste algo, o que é impossível, porque tudo te foi dado. Não fizeste um só cabelo de tua cabeça, portanto não és dono de coisa alguma. Além disso, a vida não te tira coisas: te liberta de coisas. Alivia-te para que possas voar mais alto, para que alcances a plenitude. Do útero ao túmulo, vivemos numa escola; por isso, o que chamas de problemas são apenas lições. Não perdeste coisa alguma: Aquele que morre apenas está adiantado em relação a nós, porque todos vamos na mesma direção. E não esqueças, que o melhor dele, o amor, continua vivo em teu coração. Não existe a morte... Apenas a mudança. E do outro lado te esperam pessoas maravilhosas: Gandhi, o Arcanjo Miguel, Whitman, São Agostinho, Madre Teresa, teu avô e minha mãe, que acreditava que a pobreza está mais próxima do amor, porque o dinheiro nos distrai com coisas demais,       e nos machuca, porque nos torna desconfiados.
Faz apenas o que amas e serás feliz. Aquele que faz o que ama, está benditamente condenado ao sucesso, que chegará quando for a hora, porque o que deve ser será, e chegará de forma natural. Não faças coisa alguma por obrigação ou por compromisso, apenas por amor. Então terás plenitude, e nessa plenitude tudo é possível sem esforço, porque és movido pela força natural da vida, a mesma que me ergueu quando caiu o avião que levava minha mulher e minha filha; a mesma que me manteve vivo quando os médicos me deram três ou quatro meses de vida.
Deus te tornou responsável por um ser humano, que és tu. Deves trazer felicidade e liberdade para ti mesmo. E só então poderás compartilhar a vida verdadeira com todos os outros. Lembra-te: "Amarás ao próximo como a ti mesmo". Reconcilia-te contigo, coloca-te frente ao espelho e pensa que esta criatura que vês, é uma obra de Deus, e decide neste exato momento ser feliz, porque a felicidade é uma aquisição.
  Aliás, a felicidade não é um direito, mas um dever; porque se não fores feliz, estarás levando amargura para todos os teus vizinhos.
Um único homem que não possuiu talento ou valor para viver, mandou matar seis milhões de judeus, seus irmãos.
Existem tantas coisas para experimentar, e a nossa passagem pela terra é tão curta, que sofrer é uma perda de tempo. Podemos experimentar a neve no inverno e as flores na primavera, o chocolate de Perusa, a baguette francesa, os tacos mexicanos, o vinho chileno, os mares e os rios, o futebol dos brasileiros, As Mil e Uma Noites, a Divina Comédia, Quixote, Pedro Páramo, os boleros de Manzanero e as poesias de Whitman; a música de Mahler, Mozart, Chopin, Beethoven; as pinturas de Caravaggio, Rembrandt, Velázquez, Picasso e Tamayo, entre tantas maravilhas.
E se estás com câncer ou AIDS, podem acontecer duas coisas, e ambas são positivas: se a doença ganha, te liberta do corpo que é cheio de processos (tenho fome, tenho frio, tenho sono, tenho vontades, tenho razão, tenho dúvidas)... Se tu vences, serás mais humilde, mais agradecido... portanto, facilmente feliz, livre do enorme peso da culpa, da responsabilidade e da vaidade, disposto a viver cada instante profundamente, como deve ser.
Não estás deprimido, estás desocupado.
Ajuda a criança que precisa de ti, essa criança que será sócia do teu filho. Ajuda os velhos e os jovens te ajudarão quando for tua vez. Aliás, o serviço prestado é uma forma segura de ser feliz, como é gostar da natureza e cuidar dela para aqueles que virão. Dá sem medida, e receberás sem medida. Ama até que te tornes o ser amado; mais ainda converte-te no próprio Amor. E não te deixes enganar por alguns homicidas e suicidas.
O bem é maioria, mas não se percebe porque é silencioso. Uma bomba faz mais barulho que uma caricia, porém, para cada bomba que destrói há milhões de carícias que alimentam a vida. Vale a pena, não é mesmo?
Se Deus possuísse uma geladeira, teria a tua foto pregada nela. Se ele possuísse uma carteira, tua foto estaria nela. Ele te envia flores a cada primavera. Ele te envia um amanhecer a cada manhã. Cada vez que desejas falar, Ele te escuta. Ele poderia viver em qualquer ponto do Universo, mas escolheu o teu coração.
Encara, amigo,
Ele está louco por ti!
 
 
(Facundo Cabral é um cantor e escritor Argentino, nascido em 22 de maio de 1937 na cidade de Balcarce, província de Buenos Aires, Argentina. Em tenra idade seu pai deixou a casa deixando a mãe com três filhos, que emigraram para Tierra del Fuego no sul da Argentina. Cabral teve uma infância dura e desprotegida, tornando-se um marginal, a ponto de ser internado em um reformatório. Em pouco tempo conseguiu escapar e, segundo conta, encontrou Deus nas palavras de Simeão, um velho vagabundo.
Em 1970, ele gravou "No Soy De Aquí, Ni Soy De Allá" e seu nome fica conhecido em todo o mundo, gravando em nove idiomas e com cantores da estatura de Julio Iglesias, Pedro Vargas e Neil Diamond, entre outros. Influenciado, no lado espiritual, por Jesus, Gandhi e Madre Teresa de Calcutá, na literatura por Borges e Walt Whitman, sua vida toma um rumo espiritual de observação constante em tudo o que acontece em seu redor, não se conformando o que vê, durante sua carreira como um cantor de Música Popular e, toma o caminho da crítica social, sem abandonar o seu habitual senso de humor. Como um autor literário, foi convidado para a Feira Internacional do Livro, em Miami, onde conversou sobre seus livros, entre eles: “Conversaciones con Facundo Cabral”, “Mi Abuela y yo”, “Salmos”, “Borges y yo”, “Ayer soñé que podía y hoy puedo”, y el “Cuaderno de Facundo”.
Em reconhecimento do seu constante apelo à paz e amor, em 1996, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) o declarou "Mensageiro mundial da Paz”).
 
 
Um texto maravilhoso que li e não podia deixar de compartilhar... Recebi em formato pps e pesquisei o texto na internet!

Áudio: www.akashalioncourt.prosaeverso.net/audio.php

Publicado por Akasha De Lioncourt em 16/04/2010 às 09h52
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/03/2010 22h57
O porteiro do prostíbulo (vale a pena ler)
O Porteiro do Prostíbulo.
 
Não havia no povoado pior ofício do que 'porteiro do prostíbulo'.
Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem?
O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do prostíbulo um jovem cheio de idéias,  criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento.
Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.
Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, Senhor - balbuciou - mas eu não sei ler nem escrever!
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida  inteira, não sei fazer outra coisa.
- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor.
Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora.
O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer?
Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.
Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego.
Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado.
Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa.
Como o povoado não tinha Casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra. E assim o fez.
No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar ... já que.. 
 - Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
 - Se é assim, está bom.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a Casa de ferragens  mais próxima está a dois dias mula de viagem.
- Façamos um trato - disse o vizinho.
Eu pagarei os dias de Ida e volta  mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias... aceitou.
Voltou a montar na sua mula e viajou.
No seu regresso, outro vizinho o  esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo.
Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem,  mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras.
Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora.  
E nosso amigo guardou as palavras que escutara: 'não disponho de tempo para viajar para fazer compras'.
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas.
Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido..
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens.
A notícia começou a  se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viajem, faziam  encomendas.
Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes.
Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois,  comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira  loja de ferragens do povoado.
Todos estavam contentes e compravam dele.
Já não viajava, os fabricantes  lhe enviavam seus pedidos.
Ele era um bom cliente.
Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro
E pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos.
E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc...
E após foram os pregos e os parafusos...
Em poucos anos, nosso amigo se  transformou, com seu trabalho, em um Rico e próspero fabricante de ferramentas.
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado.
Nela, além de ler e escrever,  as crianças aprenderiam algum ofício.
No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:
- É com Grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura
na primeira página do Livro de atas desta nova escola.
- A honra seria minha - disse o homem.
Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou  analfabeto.
- O Senhor?!?! - disse o prefeito sem acreditar.
O Senhor construiu um  império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado.
Eu pergunto:
- O que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder - disse o homem com calma.
Se eu soubesse ler e escrever... ainda seria o PORTEIRO DO PROSTÍBULO!!!
Geralmente as mudanças são vistas como adversidades.
As adversidades podem  ser bênçãos.
As crises estão cheias de oportunidades.
Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.
Lembre-se da sabedoria da água:
'A água nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna'.
Que a sua vida seja cheia de vitórias, não importa se são grandes ou pequenas, o importante é comemorar cada uma delas.
Quando você quiser saber o seu valor, procure pessoas capazes de entender seus medos e fracassos e, acima de tudo, reconhecer suas virtudes.
 
Grande Abraço e um Abençoado dia!

(recebi por e-mail, quando descobrir a autoria dou o devido crédito)

Publicado por Akasha De Lioncourt em 16/03/2010 às 22h57
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
18/12/2009 21h19
Se - Rudyard Kiplin
Se

Se és capaz de manter a tua calma quando
Todo o mundo ao teu redor já a perdeu e te culpa;
De crer em ti quando estão todos duvidando,
E para esses no entanto achar uma desculpa;
Se és capaz de esperar sem te desesperares,
Ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
E não parecer bom demais, nem pretensioso;

Se és capaz de pensar - sem que a isso só te atires,
De sonhar - sem fazer dos sonhos teus senhores.
Se encontrando a desgraça e o triunfo conseguires
Tratar da mesma forma a esses dois impostores;
Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas
Em armadilhas as verdades que disseste,
E as coisas, por que deste a vida, estraçalhadas,
E refazê-las com o bem pouco que te reste;

Se és capaz de arriscar numa única parada
Tudo quanto ganhaste em toda a tua vida,
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
Resignado, tornar ao ponto de partida;
De forçar coração, nervos, músculos, tudo
A dar seja o que for que neles ainda existe,
E a persistir assim quando, exaustos, contudo
Resta a vontade em ti que ainda ordena: "Persiste!";

Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes
E, entre reis, não perder a naturalidade,
E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
Se a todos podes ser de alguma utilidade,
E se és capaz de dar, segundo por segundo,
Ao minuto fatal todo o valor e brilho,
Tua é a terra com tudo o que existe no mundo
E o que mais - tu serás um homem, ó meu filho!


 
Rudyard Kiplin
Tradução de Guilherme de Almeida



Publicado por Akasha De Lioncourt em 18/12/2009 às 21h19
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
08/11/2009 15h44
CAMPANHA "PERCA UM LIVRO"
CAMPANHA "PERCA UM LIVRO"


'Perca um Livro' é uma iniciativa que trouxe para o Brasil uma prática internacional de incentivo à leitura. A ideia é "perder" um livro em lugar público para ser achado e lido por outras pessoas que, então, farão o mesmo. O objetivo é fazer do mundo inteiro uma livraria.

A prática consiste em três passos simples:

1. Leia um bom livro;
2. Cadastre o livro e escreva seus comentários para pegar seu código único e a etiqueta correspondente ao livro;
3."Perca" o livro em um lugar público.

De posse do código o leitor poderá rastrear pelo tempo que quiser os caminhos percorridos pelo livro. A iniciativa não é só uma ação de marketing. A pretensão é estimular a leitura no Brasil e fazer com que um mesmo livro seja lido por várias pessoas.
Venha você também! Para participar é simples. Escolha algumas obras que você já leu e cadastre no site. O registro gera uma etiqueta com um código que permite o acompanhamento do volume e convida quem achá-lo a continuar a corrente.
Se você encontrou um livro que faz parte da campanha, entre no site e coloque o código para avisar que encontrou.
Após ler, "perca-o" novamente. E aproveite para "perder" também alguns que você usa para arrumar a estante.
Os melhores lugares para "perder" um livro são cafés, restaurantes, perto de livrarias, museus, teatros, cinemas, salas de aula, salas de espera ou bancos de parques.

Participe!! Os livros são a porta para o futuro.

Site:
www.livr.us/index.php

Publicado por Akasha De Lioncourt em 08/11/2009 às 15h44
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 7 de 38 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]