Bistrô da Poesia
Deguste... poesia é o alimento da alma!!!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Novamente a Saudade

 

Como posso fazer para aquietar essa dor,

Que queima mais do que fogo e judia sem perdão?

Não sei o quanto mais suporto, as forças se esgotarão,

Preciso da sua presença, como dói meu coração.

 

Já tentei mudar meu tema, mas tudo tem sido em vão.

Só a saudade me inspira, crio esses versos então.

Talvez seja a melhor maneira de expressar essa paixão,

Que me assola sem piedade e me consome em solidão.

 

Meu Deus, o que fazer, se não enxergo a solução?

Não quer que eu vá até você,

Não pode ao meu encontro vir...

Enquanto a saudade não me deixa prosseguir.

 

 

Arrasta-me por dias e noites,

Sem vontade de sorrir,

Só o seu amor consegue,

Iluminar o meu porvir.

 

Tua presença sempre consegue,

Toda a dor me fazer esquecer,

Perco-me no seu doce abraço,

Teu beijo me faz derreter.

 

Já não sinto mais o cansaço,

Quero consigo reviver.

Nossos momentos de prazer,

Em nosso futuro poder crer.

 

E realizando o presente,

Sem medo do anoitecer,

Sei que o terei eternamente.

Para nunca mais te perder.

 

 

(14/09/2002)

Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 06/06/2008
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários