Bistrô da Poesia
Deguste... poesia é o alimento da alma!!!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Cotidiano de amor


Acordar todos os dias e ter muito amor para distribuir o tempo todo. Amor em forma de sorriso, amor em forma de repreensão, amor em forma de educação, amor em forma de amor. Se cada atitude que tomarmos no nosso dia a dia for baseada em amor, estamos no caminho correto. Até os religiosos sabem que sem amor nós nada seríamos.

O que está acontecendo com a humanidade nos dias de hoje é que estamos cultivando o desamor constantemente. Valores estão sendo invertidos de maneira que nos afastamos do que realmente interessa e nos esquecemos do quanto precisamos amar para viver.

O primeiro amor que aprendemos (ou deveríamos aprender) é o amor-próprio. Esse amor por nós mesmos nos coloca numa posição privilegiada de sabermos que tipo de sentimento devemos direcionar para nossas ações e pensamentos para que possamos recebê-lo de volta.

Somos o que pensamos, agimos como pensamos e refletimos nas pessoas nossas ações e pensamentos. Não podemos mudar o mundo mas podemos começar a mudá-lo através de nós mesmos. Cada atitude que indique nossas mudanças reflete-se em quem está à nossa volta. É por isso que nosso cotidiano deve ser repleto de amor, para que não tenhamos que ver tanta tristeza, crueldade e falta de amor todos os dias.

Ainda que muitos de nós não acreditemos em Deus como o Criador de todas as coisas que conhecemos, ainda que tentemos explicar todas as coisas com pura lógica e empiricamente, há uma lei da física descoberta há muito tempo chamada ação e reação. Se a cada ação corresponde uma reação de igual intensidade, que ela seja repleta de amor porque aí teremos amor em dobro.

Acho que está faltando amor... e como dizia Victor Hugo em seu controverso “Desejo”... é preciso sempre que haja amor para recomeçar, seja de onde for.
 
 

escrito em uma tarde fria de junho de 2012
.
Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 18/06/2012
Alterado em 19/06/2012

Música: Esperando Aviões - Vander Lee

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários