Bistrô da Poesia
Deguste... poesia é o alimento da alma!!!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Imagem extraída da internet e formatada por Akasha De Lioncourt

Muita Paz pra você, Clayton


Índios - Legião Urbana
Composição: Renato Russo

Quem me dera, ao menos uma vez,
Ter de volta todo o ouro que entreguei a quem
conseguiu me convencer
Que era prova de amizade
Se alguém levasse embora até o que eu não tinha.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Esquecer que acreditei que era por brincadeira
Que se cortava sempre um pano-de-chão
De linho nobre e pura seda.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Explicar o que ninguém consegue entender:
Que o que aconteceu ainda está por vir
E o futuro não é mais como era antigamente.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
E fala demais por não ter nada a dizer

Quem me dera, ao menos uma vez,
Que o mais simples fosse visto como o mais importante
Mas nos deram espelhos
E vimos um mundo doente.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
E esse mesmo Deus foi morto por vocês -
É só maldade então, deixar um Deus tão triste.

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho.
Entenda - assim pude trazer você de volta prá mim,
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim
E é só você que tem a cura para o meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Acreditar por um instante em tudo que existe
E acreditar que o mundo é perfeito
E que todas as pessoas são felizes.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Fazer com que o mundo saiba que seu nome
Está em tudo e mesmo assim
Ninguém lhe diz ao menos obrigado.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Como a mais bela tribo, dos mais belos índios,
Não ser atacado por ser inocente.

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho.
Entenda - assim pude trazer você de volta prá mim,
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim
E é só você que tem a cura para o meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Nos deram espelhos e vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui. 

***

Bem, se querem saber, mesmo que o Renato não tenha conseguido mudar o mundo com suas letras, pelo menos para mim meu mundo estaria perdido sem o grande ensinamento que ele deixou.
Como dizem, ser fã do Legião é quase uma religião. Se houverem mais fãs (e eu creio que somos muitos), que queiram relembrar com uma frase a obra do grande poeta, esse é o espaço.
Deixo uma das minhas preferidas:

" SE FOSSE SÓ SENTIR SAUDADE,
MAS, TEM SEMPRE ALGO MAIS...
SEJA COMO FOR, É UMA DOR QUE DÓI NO PEITO."

(angra dos Reis, disco 3, que país é esse.)

"força sempre." 

www.recantodasletras.com.br/forum/index.php?topic=132.0 

***

O texto acima é citação do querido Clayton acerca do fato de ser fã do Legião... deixo a minha homenagem para o querido poeta que partiu tão prematuramente na forma de uma das canções mais lindas dessa banda que ele tanto admirava. Vai na Paz, meu irmão... que os anjos te iluminem e aos teus que aqui ficaram com a lembrança e a saudade.
Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 15/12/2006
Alterado em 04/07/2009
Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários