Bistrô da Poesia
Deguste... poesia é o alimento da alma!!!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Olha-me...
Regina Coeli


... com olhos de Amor,
porque fulgurante é a Vida
e a ti entrego o melhor de mim
nos mínimos gestos que eu fizer;

... com os olhos de Paixão,
porque quero senti-la a cada manhã,
rebrotando em meu coração
como se fora a primeira vez;

... com olhos de Bondade,
porque eu preciso que me queiras
em meu contínuo e eterno caminhar,
do teu jeito e de todas as maneiras;

... com olhos de Tolerância,
porque a tua calma me trará
a Paz em que descansarei a ânsia
do refazimento nas lutas que eu abraçar;

... com olhos de Respeito...
Não finjas que não existo,
porque a indiferença é cruel,
é afiada lâmina que fere e dilacera;

... com olhos de Nobreza;
se errada, dá-me uma palavra,
mas não me condenes ao silêncio
que a morbidez da dúvida sentencia;

... com os olhos de Perdão,
porque só assim eu poderei seguir,
repensando atos no meu ir e vir,
retrocedendo passos pra recomeçar;

... com olhos de Fraternidade,
porque a estrada é para todos
e juntos melhor a percorreremos
até que o ponto final nós alcancemos.

Olha-me
com olhos de Eternidade,
um lugar à nossa frente
em que tristeza e dor
sejam, talvez, saudade...

Rio de Janeiro (RJ)

 
 
 
 
 
Sinta-me...
Akasha De Lioncourt
 
 
... com mãos cheias de Amor,
porque a cada vez que o fizer
verá que meus sentidos te devolvem
todo o amor que você me der;
 
... com mãos Sedentas e Aflitas,
como se estivesse a me perder
toca meu rosto e enxuga,
as lágrimas que me fizeste verter;
 
... com mãos Suaves e Gentis,
porque necessito que assim o seja
meu corpo, cansado, exaurido
merece teu carinho e o almeja;
 
... com mãos cheias de Paixão,
que só com você vou despertar
meus sentidos estão entorpecidos
e querem que venha me desbravar;
 
... com mãos exalando Respeito...
dispa-se da sua arrogância,
vença o ressentimento,
e não me abandone na ignorância;
 
... com mãos vestidas de Nobreza;
não me condene por sua cegueira
esse silêncio que beira à rudeza,
não pode ser a decisão derradeira;
 
... com as mãos do Perdão,
para que eu possa recomeçar
com razão predominando à emoção,
sem qualquer raiva, rancor ou pesar;
 
... com as mãos da Igualdade,
para que as estradas trilhadas
sejam símbolo de fraternidade
para todas as vitórias conquistadas;
 
Sinta-me
Com mãos de Cumplicidade,
Para que juntos caminhemos,
Sem tristeza ou ansiedade
E o restante seja apenas saudade...
 
Bauru (SP)

***

Regina Coeli é minha amiga, minha madrinha (no site CAPPAZ) e um ser cuja luz é tão intensa e bonita, que não há como não emocionar-se com a nobreza e integridade de sua alma. Minha pequena (porém amorosa) homenagem se constituiu num imenso desafio: estar à altura de tamanha sensibilidade poética. Não sei se o fiz a contento, mas compartilho com todos meu imenso carinho por essa poetisa linda. Beijos, querida madrinha.
Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 21/12/2009
Alterado em 21/12/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários