Bistrô da Poesia
Deguste... poesia é o alimento da alma!!!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Áudios

Balada Para Um Amor Antigo (ou um antigo amor)
Data: 30/09/2006
Créditos:
Dueto: Balada Para Um Amor Antigo (ou um antigo amor) & Balada para um Amor Nascente (ou um Novo Amor) - Dionísio Teles & Akasha De Lioncourt
Vozes: Kondor & Akasha De Lioncourt
Mixagem: Kondor & Akasha De Lioncourt
Música Incidental: David Arkenstone - Midsummer's Moon
Ano: 2006

Agradecimentos: Ao poeta Dionísio Teles por sua parceria no dueto escrito e ao querido Kondor por sua parceria na composição de áudio.
Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Balada Para Um Amor Antigo (ou um antigo amor)

Prepara teu corpo
repara tua alma
tudo com calma
Porque eu vou te encontrar

Gaste o esmalte
penteie o cabelo
com muito desvelo
Porque eu vou te encontrar

Isole a TV
e ligue o som
num jazz de bom tom
Porque eu vou te encontrar

Perfuma tua pele
com essência de rosa
e me aguarde, fogosa
Porque eu vou te encontrar

Apague as luzes
acenda uma vela
e feche a janela
Porque eu vou te encontrar

Incense o quarto
arrume a cama
te faças de dama
Porque eu vou te encontrar

E, quando eu te encontrar
o tempo vai ceder
e parar de correr
Porque eu vou te amar

Dionisio Teles
 

&

Balada para um Amor Nascente (ou um Novo Amor)

Meu corpo está pronto,
Preparada está a alma,
Há muito sinto a minha calma,
Porque sei que vou te encontrar

Gastei todas as unhas ao roê-las
Os cabelos despenteei, todos os cachos,
Sem muitos cuidados, eu sei,
Porque sei que vou te encontrar

Nunca gostei de TV, dispensei-a,
Música só de bom gosto,
Jazz? Também blues, MPB,
Porque sei que vou te encontrar

A pele sempre perfumada,
Essência de alma, pode até ser rosa,
O fogo consome toda a cama,
Porque sei que vou te encontrar.

Luzes só nos castiçais,
Velas aromáticas, essenciais,
Janela aberta, para ver a lua,
Porque sei que vou te encontrar.

O quarto parece vindo do oriente,
A cama com lençóis de seda,
A dama, se transforma em gueixa,
Porque sei que vou te encontrar.

E, quando finalmente eu te encontrar,
O tempo relativo há de ficar,
Gélido, estático, inexistente,
Porque eu sei que vou te amar!

Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 09/05/2006

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários